“O Outro Lado do Paraíso”: Mesmo recusando neto negro, Nádia toma atitude admirável para salvar a vida do bebê

A vida de Nádia está sofrendo mudanças radicais e, depois que ela se consultou com a sensitiva Mercedes, a madame ficou chocada com as previsões envolvendo o seu futuro.

As reviravoltas ainda não terminaram, pois brevemente Nádia terá que conviver com a ex-prostituta Karina. Além disso, Nádia também terá um neto negro, algo que sempre foi descriminado por ela.

Diante da notícia da gravidez de Karina, Nádia verá aí a chance de provar que seu filho caçula não é impotente, como andam falando na cidade.

Após se casar com Diego, Karina entrará em trabalho de parto e nascerá um lindo e forte garoto, o que trará muita alegria para toda a família, menos para Nádia, que ficará aterrorizada ao ver que a criança é negra.

A racista surtará, porém, ficará ainda mais em choque quando Karina fazer um exame de DNA na criança e provar que Diego é realmente o pai.

Desconfiada com o resultado, Nádia questionará o resultado. “Nádia, nosso laboratório é um dos melhores do país. Muito bonitinho seu neto. Um pouco diferente de seus familiares, mas não deixa de ser uma gracinha”,dirá o médico Samuel, que logo dará uma péssima notícia aos familiares que ali estarão.

“Me informaram que a mãe da criança tem muito pouco leite, por isso não conseguirá alimentar o bebê e o leite materno é algo indispensável para ele”, anunciará Samuel. “Eu sei qual é a importância do leite materno. Amamentei meus dois filhos e os dois são lindos e fortes”, responderá Nádia.

“Vim dizer que minha esposa, Suzy, tem muito leite. Se caso quiserem, leve o bebê para se alimentar lá em casa. Eu aviso ela”, irá sugerir Samuel. Todos irão olhar para Nádia que reagirá: “Nem pensem, não vou ficar de motorista para cima e para baixo por causa dessa criança intrusa na minha família”.

Demonstrando estar indignado com os dizeres da mãe, Diego tentará convencê-la a ajudar a cuidar de Marco Aurélio, nome escolhido por Nádia: “Mãe, por favor, é da saúde de seu neto que estamos falando. ”, “Também não vou ter condições de ficar levando o bebê para mamar”, completará Karina, demonstrando estar exausta depois do parto.

Diante da situação tensa entre os familiares de Nádia, Samuel dará uma sugestão: “Podemos retirar o leite também, mas alguém terá que ir em casa buscar”, avisará ele.

Bruno e Gustavo que também estarão no hospital começarão a pressionar a patriarca da família, pedindo para que ela seja sensata ao menos uma vez na vida.

Por livre e espontânea pressão, Nádia acabará engolindo seu racismo e tomará uma atitude surpreendente para salvar a vida e saúde de seu neto: “Tá bom gente, eu levo. Eu levo a criança. Sou uma mártir! ”, finalizará ela, pegando a criança no colo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *