Casais que têm muita “DR” são mais felizes e têm maior chance de permanecerem juntos!

Você acha que um relacionamento perfeito é aquele em que não há brigas e desentendimentos? Especialistas garantem que aprender a discutir com a parceria é um hábito benéfico para a relação no longo prazo. Isso mesmo, você não leu errado.

Estudos apontam que manter a calma e encarar os problemas do casal de frente deixam o relacionamento mais consistente ao longo dos anos.

Discutir a relação é benéfico para o casal

Ao longo de 14 anos, pesquisadores das universidades da Califórnia e de Washington, ambas nos Estados Unidos, acompanharam 79 casais para detectar padrões de comportamento.

Entre os sintomas mais interessantes, eles destacaram que o possível sucesso da relação dos casais seria a capacidade de discutir, argumentar e resolver as questões em dupla. Ao final do estudo, 21 deles se divorciaram.

Melhor maneira de discutir, segundo a ciência

Entre os casais que se separaram, a maioria levou muito mais tempo para abordar o tema da discussão do que aqueles que permaneceram juntos. Por outro lado, os que discutiram imediatamente após o conflito foram os que ficaram juntos mais tempo.

A especialista norte-americana em saúde mental Stephanie Sarkis garante que casais saudáveis discutem, sim. “Porém, eles não brigam. Eles argumentam”, garante Sarkis em artigo autoral no site site Psychology Today.

“Você e sua parceria podem argumentar, cada um com seus respectivos pontos de vista, mas sem ofensas ou aumento de voz”, exemplifica Sarkis. “Às vezes, vocês vão concordar ou discordar, e tudo bem.”

Ela conta ainda que cada casal precisa descobrir as questões nas quais conseguem ou não ser flexíveis e, assim, ir dosando ao longo dos conflitos.

O estudo norte-americano também apontou que outra característica dos casais que se separaram é que frequentemente interromperam discussões para fazer comentários inúteis e insensíveis, não levando a questão a sério.

Já os outros casais, ditos mais bem-sucedidos, tendem a assumir a responsabilidade por suas ações e ouvir o que o outro tem a dizer, e respeitar a sua opinião.

Outro estudo, publicado no Journal of Counseling Psychology, feito com 145 casais, constatou que aqueles que receberam orientações sobre como resolver conflitos na hora em que eles acontecem se sentiram mais satisfeitos no primeiro ano da relação – que costuma ser um dos mais conturbados – do que os que não receberam treinamento algum.

Já em 2010, um estudo publicado no Journal of Marriage and Family analisou o comportamento de cerca de 400 casais.

Entre os pontos de destaque, aqueles que mesmo em uma discussão encaravam a situação de uma maneira positiva – ou seja, sem desdém e com respeito para resolver de forma pacífica o conflito – estavam menos propensos a se divorciar do que os casais que não tinham essas características.

Afinal, parece que discutir a relação, ao contrário do que muitos ainda pensam, pode mesmo fazer bem para o relacionamento.

Fonte: vix.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *